Cerca de 250.000 crianças obrigadas a deixar as suas casas devido à violência em Cabo Delgado, no norte de Moçambique, encontram-se “em risco de doenças mortais com o início da época das chuvas”, alerta o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

Segundo a agência das Nações Unidas dedicada à infância, os serviços de água, higiene e saneamento dos centros de acolhimento temporários e comunidades anfitriãs devem ser ampliados urgentemente, de forma a prevenir eventuais surtos de doenças transmissíveis pela água, como a cólera, e ainda a propagação da Covid-19.

Henrietta Fore, diretora executiva da UNICEF, explica que “à medida que a situação na província continua a deteriorar-se – especialmente com o início da época das chuvas – os sistemas de água e saneamento e de saúde estão cada vez mais sob pressão”. “Os parceiros humanitários no terreno devem reforçar estes serviços para proteger a vida e o bem-estar das crianças da região”, refere a responsável.

Perante a dimensão deste problema, as equipas da UNICEF encontram-se a ampliar a sua resposta ao nível da água e saneamento e a prestar auxílio às equipas móveis de saúde no terreno. São prestados cuidados de saúde, apoio psicossocial e cumpridos planos de vacinação. A UNICEF e os seus parceiros encontram-se também a dinamizar espaços amigos das crianças.

Tagged: