Foto: Lusa / Paulo Novais

A exposição “Reclus@ 008” reúne um conjunto de fotografias captadas por crianças e jovens de Coimbra com pais presos, e abre ao público esta quinta-feira, 10 de dezembro, no Teatro da Cerca de São Bernardo (TCSB), em Coimbra, dia que ficará também marcado pela realização de uma conferência online, dedicada ao tema da mostra.

A iniciativa resulta da ação do Núcleo de Intervenção Infanto-Juvenil (NIIJ), concebido pelo Projeto Trampolim (financiado pelo Programa Escolhas), e que tem como propósito dar voz aos problemas das crianças com pais presos, na sua área de influência – Planalto do Ingote e Centro de Estágio Habitacional do Bolão, na periferia de Coimbra.

A mostra reúne trabalhos que oito crianças e jovens que tiveram ou têm o pai ou a mãe presos. As fotos das crianças e jovens, captadas com máquinas descartáveis, refletem sensações como a ausência, a saudade, e um sistema pouco adequado aos seus direitos. A acompanhar as fotos estão testemunhos das oito crianças e jovens participantes na iniciativa. Podem ler-se palavras como: “Quando tinha nove anos um guarda quis algemar-me, mas o meu pai não deixou e a seguir os polícias bateram nele”, “A última rusga que presenciei foi muito violenta” e “Era bom que não destruíssem as nossas coisas”.

Em declarações à agência Lusa, ‘Joana’ (nome fictício), que teve o padrasto e o irmão presos, lamentou o pouco tempo e da falta de privacidade nas prisões de Portugal, em oposição às de Espanha, onde é possível estar com recluso de forma isolada. “O espaço não nos deixa ter outro tipo de conversas. Eu não contava ao meu irmão o que se estava a passar cá fora, até pelo barulho que não nos deixa ter uma conversa e depois o tempo é muito curto”, lamentou a jovem.

O Núcleo de Intervenção Infanto-Juvenil nasceu em 2019, após os elementos do Projeto Trampolim terem identificado este problema depois de uma série de rusgas levadas a cabo no Planalto do Ingote, em anos anteriores. No âmbito deste projeto, foram sinalizadas 49 crianças e jovens com pais que estiveram ou ainda estão presos entre 2018 e o presente ano, no Planalto do Ingote e no Centro de Estágio Habitacional do Bolão.

Com o objetivo de mudar o atual sistema, o Núcleo de Intervenção Infanto-Juvenil candidatou-se ao programa “Cidadãos ativos”, com o propósito de colocar em marcha um projeto-piloto em Coimbra dedicado a esta problemática. “O nosso objetivo é a mudança. Ainda falta, mas estamos no bom caminho”, referiu Carla Mendes, coordenadora do Projeto Trampolim. A exposição “Reclus@ 008” poderá ser conhecida até ao dia 19 de dezembro.

Tagged: