Foto: ACN Portugal

Refugiado em Pemba, onde muitos moçambicanos têm procurado abrigo para fugir à violência em Cabo Delgado, o padre Edegard Júnior, missionário saletino, de 60 anos, tem recolhido testemunhos das pessoas em fuga nos últimos dias e os relatos que tem ouvido “são assustadores”. “Há muitas mortes, pessoas raptadas e decapitadas”, revelou o sacerdote à Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS).

“A aldeia onde nós moramos, Muambula, foi atacada no dia 30 de outubro. Os insurgentes continuam lá, já passa de 10 dias, eles dominam essa região e estão a queimar muitas casas, há muita gente assassinada. A nossa casa, a casa das irmãs, a própria igreja, que já tinha sido atacada em abril, e a nossa rádio comunitária que fica no fundo da igreja, toda essa infraestrutura foi danificada com os ataques”, adiantou o missionário.

Segundo Edegard Júnior, a destruição na província moçambicana de Cabo Delgado “é imensa” e o cenário “é desolador”. “Nas aldeias não tem mais ninguém. Todos têm medo e eles [os terroristas, que reivindicam pertencer ao Estado Islâmico] estão muito violentos nestes ataques. Então, as pessoas estão no mato ou já conseguiram chegar a alguma cidade. Há muitas mortes, pessoas decapitadas, pessoas raptadas…”, desabafou.

Em declarações à AIS na Alemanha, a irmã Blanca Nubia Zapata, da Congregação das Carmelitas Teresas de São José, traçou um retrato semelhante de violência, morte e pessoas em fuga, a maior parte em direção à cidade de Pemba: “Nas últimas duas semanas, chegaram aqui mais de 12 mil pessoas. Não aguentamos. Estão a chegar mulheres e crianças, e pessoas mais velhas que andam há dias a pé. Alguns morreram no caminho, nas estradas e nos trilhos florestais”.

Para tentar minimizar o sofrimento dos deslocados, a AIS decidiu apoiar as dioceses envolvidas no acolhimento com uma ajuda de emergência no valor de 100 mil euros, anunciou Regina Lynch, chefe de Departamento de Projetos da Fundação Pontifícia.

Tagged:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *