O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, lançou um apelo aos líderes mundiais para que deem prioridade aos cidadãos mais idosos nos esforços para superar os efeitos da pandemia de Covid-19 e reforcem as políticas de assistência e previdência social para as pessoas com mais de 60 anos.

Na sua mensagem para o Dia Internacional dos Idosos, que se assinala esta quinta-feira, 1 de outubro, o líder da ONU salientou a necessidade de uma maior consciência global sobre as necessidades especiais de saúde das pessoas de mais idade, recordando que, em todo o mundo, a terceira idade foi a que mais sentiu os efeitos da pandemia, não apenas na saúde, mas também nos direitos e no bem-estar.

As estimativas da organização indicam que até o fim de 2020 “o número de pessoas com 60 anos ou mais superará o número de crianças com menos de cinco anos”. E as projeções para os próximos 30 anos apontam para que o número de idosos em todo o mundo mais do que duplique, atingindo acima de 1,5 bilião de pessoas em 2050. Cerca de 80 por cento deles viverão em países de baixos e médios rendimentos.

Perante estes dados, Guterres destacou a urgência em expandir as oportunidades para os idosos e aumentar os níveis de acesso à saúde, às pensões e à proteção social. Recordando a Década do Envelhecimento Saudável que decorre até 2030, o secretário-geral da ONU recomendou ainda que sejam ouvidas as vozes, sugestões e ideias deste grupo para construir sociedades mais inclusivas e amigas dos idosos.

Tagged:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *