Com a morte de um indígena e a deteção de pelo menos mais um infetado com Covid-19 no Vale do Javari, o segundo maior território indígena do Brasil, o líder Kura, do povo Kanamari, apelou esta semana às autoridades que instalem barreiras sanitárias na região para impedir a disseminação do vírus entre as comunidades isoladas e evitar a entrada ilegal de madeireiros, garimpeiros e caçadores.

“Nos preocupa muito a vida dos nossos parentes isolados”, afirma o cacique numa mensagem em vídeo divulgada pela Survival Internacional, manifestando-se especialmente apreensivo com a situação do povo indígena isolado conhecido como “Flecheiros”, que está apenas a cerca de 15 quilómetros da comunidade Hobana, onde já morreu um elemento com a doença.

Face à vulnerabilidade dos indígenas isolados a doenças por estranhos, como gripe, tuberculose e sarampo, porque não desenvolveram imunidade a elas, a Survival recorda, que no passado dia 5 de agosto, o Plenário do Supremo Tribunal Federal decidiu que o governo tinha apresentar, em 30 dias, um plano detalhado e abrangente para enfrentar a pandemia e evitar o avanço da Covid-19 nas comunidades indígenas.

Na decisão foi reconhecida a grande vulnerabilidade dos povos indígenas isolados e de recente contacto e ordenada a instalação de barreiras sanitárias nos territórios onde esses povos vivem. A deliberação também determinou a retirada de todos os invasores ilegais dos territórios indígenas, mas sem definir um prazo para isso.

Tagged:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *