Yanomami
Foto: Agência Saúde

A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), entidade que tem vindo a efetuar um levantamento independente aos casos de Covid-19 nas comunidades indígenas, tem confirmados já mais de 22 mil casos da doença e pelo menos 645 mortos, em 148 povos. Um número que fica acima do apresentado pelas entidades oficiais, que têm contabilizado apenas os casos em terras indígenas homologadas.

O governo brasileiro tem sido alvo de críticas pela alegada falta de apoio às comunidades indígenas no combate à pandemia e, em meados de julho, foi promovida uma viagem interministerial à Terra Indígena Yanomami, acompanhada por vários jornalistas, para mostrar as ações governativas nesta área.

A visita, porém, “acumulou uma série de irregularidades” e levantou ainda mais preocupações aos indígenas, segundo uma reclamação apresentada às autoridades federais do estado de Roraima pela Rede Pró-Yanomami e Ye’kwana.

“A comitiva, além de não consultar previamente as lideranças indígenas para desembarque nas comunidades, permitiu que jornalistas se aproximassem das populações. Além disso, foram entregues, segundo documentação do Ministério da Saúde (MS), 49 mil comprimidos de cloroquina, cuja eficácia contra a Covid-19 não está comprovada. Também foram feitos testes rápidos, considerados pouco confiáveis na deteção da doença”, denunciou a organização, citada pelo Instituto Socioambiental.

Tagged:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *