O Santuário de Fátima tem vivido por estes dias uma afluência maior de peregrinos, depois do desconfinamento, e é esperado um aumento de fiéis entre esta sexta-feira, 12 de junho, e amanhã, para a primeira peregrinação internacional aniversária do ano com a presença física de crentes. Se o número de pessoas colocar em risco o cumprimento do distanciamento social, a entrada no recinto de oração pode vir a ser condicionada.

“Não me parece expectável uma grande enchente. Parece-nos expectável que esteja um grupo relativamente grande de peregrinos”, mas “caso tenhamos, em algum momento, a perceção de que o santuário começa a estar no limite da sua capacidade no respeito pelo distanciamento teremos necessariamente de isolar e fechar o recinto”, alertou esta manhã, em conferência de imprensa, o reitor do templo mariano, padre Carlos Cabecinhas.

Presidida pelo bispo auxiliar de Lisboa, Américo Aguiar, a peregrinação de 12 e 13 de junho assinala também o centenário da chegada da imagem de Nossa Senhora de Fátima à Capelinha das Aparições. Neste âmbito, amanhã à tarde, a escultura em madeira estará patente na exposição “Vestida de Branco”, no Convivium de Santo Agostinho, por debaixo da Basílica da Santíssima Trindade.

“A imagem de Nossa Senhora é a grande ausente daquela exposição, porque está na Capelinha das Aparições. Desde o início, quando se pensou esta exposição sobre a imagem de Nossa Senhora e os seus 100 anos, pensou-se num momento em que a imagem pudesse visitar a exposição que lhe é dedicada e a data mais propícia é precisamente esta: o dia que assinala os 100 anos da vinda da imagem para a Cova da Iria”, adiantou o sacerdote.

A imagem, da autoria do escultor José Ferreira Thedim, foi oferecida por um devoto, Gilberto Fernandes dos Santos, de Torres Novas, em 1920, numa altura em que o santuário “dava os seus primeiros passos, muito mais por iniciativa popular do que por iniciativa da hierarquia da igreja”. Mede 1,04 metros e pesa 19 quilos. Os olhos são de vidro e nas vestes e manto foram incrustadas pedras de cristal de rocha, de vidro e diamantes.

Segundo informações do santuário, a coroa que a imagem ostenta apenas nos dias das grandes peregrinações, foi oferecida pelas mulheres de Portugal, em 13 de outubro de 1942, e é de ouro, pesa 1,2 quilos e tem 313 pérolas e 2679 pedras preciosas. Em 1989 foi nela colocada a bala extraída do corpo de João Paulo II após o atentado em Roma.

Tagged:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *