De évora a Montemor-o-Novo, peregrinos do alentejo caminham entre orações e cânticos. Um grupo cada vez mais integrado na fé, na partilha e na comunhão.
De évora a Montemor-o-Novo, peregrinos do alentejo caminham entre orações e cânticos. Um grupo cada vez mais integrado na fé, na partilha e na comunhão. Pouco a pouco foram chegando em transportes alugados ou de familiares. Era o grande dia: sábado, 6 de Maio. a parte mais desafiadora da peregrinação a Fátima começava agora. Sem intervalos. Dos 65 inscritos, e que caminharam até évora no passado 1 de Maio, compareceram agora 58. Desistências por motivos vários. Convocam-se todos para a celebração da Eucaristia, alimento para a longa caminhada. Foi às 7h00 na capela da Casa dos padres Salesianos. Um deles presidiu. Surpresa: a D. Inês, que anos atrás organizou e iniciou o grupo de évora, do qual brotou este que acompanhamos, estava presente. Uma perfeita alegria para todos. “Basta a sua presença para nos animarmos mais ainda” diz um peregrino. No dia seguinte parte também ela, com o grupo de évora.
De évora a Montemor-o-Novo
Depois do ritual do envio na missa e das recomendações para a caminhada, a estrada que os levaria até Montemor-o-Novo, a cerca de 32 km, começou a forrar-se de romeiros. Cada um leva ao peito um cordão com o seu nome e o lugar de origem. “Favorece o conhecimento de todos” diz um dos três guias, que portam o cartão fornecido pelo Movimento da Mensagem de Fátima.
Primeira paragem às 8h30. O Nisa, responsável pelos momentos de oração e reflexão da peregrinação, convida e motiva a oração-a-manhã. O estômago pede o outro alimento do peregrino: o pequeno-almoço. Momento também para se proceder à entrega dos púcaros para a água, que cada um levará pendurado ao pescoço; do livro de cânticos e de um lenço de algodão com a imagem de Nsa. Sra. de Fátima e o lema da peregrinação. Procede-se ao sorteio do amigo secreto. (ver noticia relacionada)
Seriam já muitas coisas para os distraí­rem do caminho, mas há que seguir viagem. Chega a hora do almoço e, em Patali, um restaurante junto a uma fonte antiga, muito conhecida naquela zona, recarregam as baterias e descansam.
apresentação dos peregrinos
às 14h30 a estrada recebe novamente os pés peregrinos e, 6 km depois, é hora do lanche e da reflexão da tarde. é também o momento em que os guias convidam à apresentação dos caminhantes. as curiosidades de sempre: quem é o mais novo?, e o mais velho? algum testemunho e outras coisas. (ver noticia relacionada)
Chegaram a Montemor-o-Novo às 19h15. O jantar, servido na Escola Secundária, foi oferecido pela Santa Casa da Misericórdia desta cidade alentejana. “Muito saboroso e nutritivo”, dizem, e servido com esmero por esta obra de solidariedade social a quem muito agradecem. Seguem para o Hospital dos Irmãos de São João de Deus, que lhes deram todo o apoio necessário. Tomam banho e acomodam-se. antes, porém, uma grata surpresa: a visita de 4 massagistas do Centro de Massagem desta cidade. Massagearam toda a gente até à 1h da manhã. Eram muitas as pernas inchadas e os pés doloridos e com bolhas. Ficaram como novos, prontos para uma nova jornada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *