Um centro de formação orientado por missionárias salva jovens mulheres da prostituição. algumas, lá formadas, já, têm o seu próprio negócio.
Um centro de formação orientado por missionárias salva jovens mulheres da prostituição. algumas, lá formadas, já, têm o seu próprio negócio. as missionárias Claretianas dedicam-se a ajudar as mulheres e jovens que caiem na “prostituição” por não terem outra forma de sustento. a existência de um centro numa das comunas mais violentas de abidjan, capital da Costa do Marfim, que as forma profissionalmente em vários domí­nios, já permitiu a algumas delas de adquirir a sua independência.
Essa experiência é relatada por uma dessas missionárias, a irmã Elaine Lombardi, à Missionary Service News agency (MISNa). Segundo o que ela conta, essas jovens de idade compreendida entre 15 e 25 anos, são na sua maioria vítimas de casamentos forçados, excisão ou outro tipo de abusos. Oriundas de famílias pobres e com muitos filhos, estas vêem-se obrigadas a recorrer à prostituição.
O centro de formação que, já existe desde 2001, é constituído por doze professores da região que transmitem a 120 alunas conhecimentos de várias áreas tais como a costura, música e informática.
Este centro conta com ajuda da Conferência episcopal italiana, de comités católicos italianos e de embaixadas ocidentais em abidjan, mas também de outros doadores.
16 das alunas do centro já abriram uma padaria, um cabeleireiro, uma casa de costura e um cyber ” café.
Neste centro, os rapazes também não são esquecidos. Elaine Lombardi conta que um voluntário suí­ço, electricista, ensina alguns jovens a efectuar alguns trabalhos que são necessários à missão e que lhes permitem ganhar algum dinheiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *