Esperanças e dores acompanham a vida de todos os povos. Moçambique não foge à regra.
Esperanças e dores acompanham a vida de todos os povos. Moçambique não foge à regra. O país persegue duas esperanças. Têm a ver com o desenvolvimento comercial e com a vida social dos cidadãos. Trata-se da desejada integração entre os países da África austral e de um maior investimento dos países do primeiro mundo. São condições para combater a pobreza e as suas consequências.
a integração no grupo dos países da região é uma aspiração que tanto o governo, como o povo querem ver concretizada. as pessoas querem poder circular livremente entre os países firmatários do acordo, sem o obstáculo dos vistos. O governo do presidente Guebuza garante que as conversações com os governos dos países vizinhos estão adiantadas. Espera-se quanto antes um acordo.
a segunda aspiração é que os países do primeiro mundo aumentem os investimentos em Moçambique. é uma condição necessária para o sucesso do programa de luta contra a pobreza absoluta. De visita a Moçambique, o presidente alemão, Horst Kohler, declarou que o seu país vai aumentar os investimentos no sector da educação como já está a fazer na província de Sofala. é uma boa notícia, que carece de ser imitada por outos países.
a par das esperanças, o país sofre dores, como o drama da malária, da fome, da subnutrição, entre outras. O ministério da saúde reconheceu que, não obstante os avanços atingidos com o plano estratégico do sector saúde, ficam ainda muitos problemas por resolver.
Não deixa de causar preocupação o problema da fome e desnutrição. São dois problemas relacionados com o drama das secas que, no ano passado, afectaram quase todas as províncias do país. Melhorar a área da nutrição terá de ser uma das prioridades das autoridades sanitárias para minimizar o problema e oferecer melhores condições de vida às principais vítimas da fome: as mulheres grávidas, as crianças e os idosos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *