Foto D.R

Numa mensagem para o Dia do Pai, celebrado em circunstâncias excecionais, os bispos portugueses felicitam o importante papel desempenhado por estes progenitores

Os bispos que compõem a Comissão Episcopal do Laicado e Família (CELF) deixam uma mensagem para o Dia do Pai, celebrado nesta quinta-feira, 19 de março, o primeiro dos dias em que Portugal se encontra em Estado de Emergência Nacional, devido à pandemia provocada pela propagação do coronavírus Covid-19.

Na sua missiva, os bispos afirmam que pretendem «enviar a todos os pais uma mensagem de gratidão, conforto e esperança no meio das ameaças que, inexoravelmente, todos sofremos». «Fazemos votos de que, no fim deste período de sobressalto, o mundo esteja melhor e a vida de cada pessoa mais valorizada», referem os prelados portugueses.

Com as crianças e adolescentes em casa, os bispos nacionais referem que serão «precisos`superpais e supermães´ para reinventar a convivência familiar, pois a atividade social terá de estar reduzida ao mínimo, como a prudência recomendada». Os prelados afirmam que a situação de isolamento social a que a população está sujeita pode ser uma «oportunidade para diálogo familiar sobre a beleza e sentido da vida», e um «tempo para `recomeçar´ em pontos essenciais da vida pessoal, de casal e de família, melhorando a qualidade dos relacionamentos».

Os bispos portugueses escrevem que ser pai é, se necessário for, «ter a humildade de `pedir perdão e recomeçar´». Além disso, os prelados indicam também que esta pode ser uma ocasião para «acompanhar, nem que seja à distância, quem está mergulhado no drama da doença, da solidão ou de outro género».

Nesta quinta-feira, a Igreja Católica lembra São José, considerado o pai adotivo de Jesus Cristo. «É modelo de pai e de todos os pais! Dele, não se conhece qualquer palavra, pois os quatro Evangelhos não relatam qualquer diálogo. Homem silencioso, soube garantir a estabilidade necessária à mais extraordinária família sobre a terra. Viveu para que Maria de Nazaré e Jesus tivessem uma casa, um lar carinhoso, o conforto e a proteção necessária», destacam os bispos.

Os prelados portugueses referem que «para fazer bela a família, mesmo no meio das ameaças de uma pandemia, como a que vivemos, não são precisas muitas palavras, basta que cada uma seja rico em amor para o outro». Os bispos destacam que São José «foi um pai fiel à voz de Deus e foi pai forte sempre que teve de mudar de local para proteger a família».

Os bispos portugueses deixam a sua prece. «Que São José ilumine todos os pais num período em que estarão mais tempo com os filhos. Que saibam inventar novas formas de convívio, de trabalho e de passatempo em família. Provavelmente vão fazer coisas que nunca fizeram, ter conversas que não teriam, orações em família que nunca fariam, projetos que juntos não sonhariam!»

Os prelados nacionais concluem a sua mensagem felicitando todos os pais. «Como sugere a imagem que o Papa Francisco tem no seu quarto, até a dormir, um pai como São José continua a velar! Confiemo-nos a ele, confiemos os nossos filhos, famílias, amigos e este belo mundo doente. Todos somos importantes! Podemos contagiar com o coronavírus ou tudo curar com o remédio mais eficaz, o do amor. Muitos parabéns para todos os pais!»

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *