Mais pessoas foram mortas ou ficaram feridas devido a minas na Colômbia durante o ano passado que em qualquer outro país. Segundo o governo, os rebeldes usam minas para proteger as plantações de coca.
Mais pessoas foram mortas ou ficaram feridas devido a minas na Colômbia durante o ano passado que em qualquer outro país. Segundo o governo, os rebeldes usam minas para proteger as plantações de coca. Segundo os números das Nações Unidas (ONU) países como o afeganistão e o Camboja tiveram menos de 900 mortos ou feridos causados por minas, mas segundo os números dados pelo governo colombiano 1. 077 pessoas foram mortas ou ficaram feridas devido às minas.
“O número de vítimas na Colômbia está a aumentar porque os grupos armados continuam a colocar minas para proteger as plantações ilegais”, disse à imprensa Luz Piedad Herrera, director do Observatório de Minas do vice-presidente. Em 2004 as vítimas colombianas de minas tinham sido 809.
Há quarenta anos que a Colômbia vive uma guerra interna, a guerrilha depende do tráfico de cocaína para conseguir fundos para as suas operações. O maior grupo guerrilheiro da Colômbia, as Forças armadas Revolucionárias de Colômbia (FaRC), diz estar a lutar pelo socialismo, num país com enormes divisões entre ricos e pobres. Porém, até os políticos de esquerda dizem que o grupo tem pouco apoio popular. Este grupo é o responsável pela maior parte das minas que usa para proteger as plantações ilegais e para atrasar o avanço do exército.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *