Prisões portuguesas com “problemas” e “más condições de saúde e a sobrelotação”, denuncia o relatório Departamento de Estado norte-americano sobre o respeito pelos direitos humanos.
Prisões portuguesas com “problemas” e “más condições de saúde e a sobrelotação”, denuncia o relatório Departamento de Estado norte-americano sobre o respeito pelos direitos humanos. as prisões portuguesas continuam a registar “problemas” como as “más condições de saúde e a sobrelotação” denuncia um relatório do Departamento de Estado norte-americano sobre o respeito pelos direitos humanos.
Trinta por cento dos reclusos sofrerem de hepatite B ou C e catorze por cento estão infectados com o HIV. a duração da prisão preventiva também é vista como um problema, embora Washington reconheça que o governo português está a tentar ultrapassar a questão.
“O tempo de prisão antes do julgamento constitui um problema, mas o Governo tem feito esforços para melhorar esta questão”, refere o relatório. Em 2005, 18 por cento da população prisional em Portugal estava em prisão preventiva, havendo um decréscimo em relação ao ano anterior, segundo o documento.
No mesmo relatório é ainda chamado à atenção para a existência de “relatos credí­veis sobre o uso desproporcionado de força pela polícia” e de maus tratos ou abuso dos guardas prisionais em relação aos detidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *