Relatório considera que o país tem registado «progressos significativos», nomeadamente no combate à corrupção, mas sublinha que há ainda muito a melhorar em diversas áreas relacionadas com os direitos humanos
Relatório considera que o país tem registado «progressos significativos», nomeadamente no combate à corrupção, mas sublinha que há ainda muito a melhorar em diversas áreas relacionadas com os direitos humanos O relatório anual sobre os direitos humanos no mundo, divulgado esta quinta-feira, 17 de janeiro, pela organização não governamental Human Rights Watch (HRW), destaca os progressos alcançados em angola no combate à corrupção, mas aponta como negativo a manutenção das práticas de detenção arbitrárias, as execuções extrajudiciais, a falta do direito a uma habitação condigna, as limitações à liberdade de expressão e de imprensa, as violações à orientação sexual, corrupção e tratamento de imigrantes. O documento, citado pela agência Lusa, realça a ação no Presidente angolano, João Lourenço, na luta contra a corrupção, enumerando diversas investigações que já levaram à detenção de vários ex-governantes e dirigentes do Movimento Popular de Libertação de angola (MPLa, no poder desde 1975), incluindo familiares do antigo Chefe de Estado, José Eduardo dos Santos.como pontos negativos a HRW aponta a continuação das execuções extra-judiciais por parte da polícia de angola, as numerosas detenções arbitrárias, com a polícia a ser responsabilizada pela prisão desnecessária de ativistas e de manifestantes, e o tratamento dado aos imigrantes. Recorde-se que, em outubro do ano passado, cerca de 400 mil estrangeiros, sobretudo oriundos da República Democrática do Congo, foram expulsos no âmbito da Operação Transparência. as autoridades angolanas indicaram que o garimpo e o tráfico ilegal de diamantes funcionavam com base numa rede de crime organizado controlada por imigrantes irregulares, mas não apresentaram quaisquer provas, pode ler-se no relatório, que cita ainda alguns casos de violação da liberdade de imprensa e de expressão no país.