Migrantes que estiveram em centros temporários de acolhimento e foram devolvidos à rua, sem apoio nem formação, aprendem a confecionar comida e a trabalhar em cozinhas industriais, para se integrarem no mercado de trabalho na cidade de Málaga, em Espanha
Migrantes que estiveram em centros temporários de acolhimento e foram devolvidos à rua, sem apoio nem formação, aprendem a confecionar comida e a trabalhar em cozinhas industriais, para se integrarem no mercado de trabalho na cidade de Málaga, em Espanha Sensibilizada com a grande quantidade de jovens migrantes que vagueiam pela cidade de Málaga, em Espanha, sem emprego e sem perspetiva de uma carreira profissional, depois de terem sido obrigados a deixar os centros de acolhimento temporário, a organização não governamental Uyamaa, apoiada pelos Missionários da Consolata, decidiu pôr mãos à obra e está a promover um curso de formação de ajudante de cozinha que lhes permita a entrada no mercado de trabalho. O processo começou com a divulgação da iniciativa e captação de potenciais formandos, entre os jovens com inclinação profissional para o sector da restauração e hotelaria. Numa segunda fase realizou-se uma sessão informativa para explicar as diferentes funções dentro do ramo e selecionar os candidatos com perfil para ajudante de cozinha. Cumprida esta etapa, foi assegurada uma parceria com uma empresa especializada na formação técnica, efetuada uma entrevista a 15 potenciais interessados, dos quais foram escolhidos 10 para frequentar o curso.com todas estas ações, pretendemos compreender as expectativas dos jovens, a fim de fortalecê-los em relação a uma saída realista para o mercado de trabalho, já que, como se percebeu na elaboração do projeto, alguns dos fatores que debilitavam o seu perfil profissional eram a falta de formação orientada para um posto com saída no mercado laboral atual e a ausência de competências para entrar numa carreira profissional, explicou Sílvio Testa, um dos coordenadores da iniciativa. as aulas teóricas tiveram início em setembro e foram complementadas com sessões individuais sobre competências transversais para a empregabilidade no cargo. Em outubro, os alunos entraram na fase de formação técnica e prática do curso de ajudante de cozinha, com sessões individuais de coaching’ baseadas no treino de habilidades pessoais. Em simultâneo, os jovens formandos terão lições para potenciar o auto-conhecimento e a autoestima, para perceberem melhor o atual contexto do mercado de trabalho e adquirirem capacidades para a procura ativa de emprego.

1 comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *