Especialistas de saúde da região dos Grandes lagos estão reunidos na capital do Burundi, Bujumbura, para planear modos de fazer face às epidemias na região.
Especialistas de saúde da região dos Grandes lagos estão reunidos na capital do Burundi, Bujumbura, para planear modos de fazer face às epidemias na região. Surtos de malária, cólera, meningite e, ultimamente, gripe aviária são algumas das epidemias em discussão nos quatro dias de trabalho que começaram a 13 de Fevereiro. Participam especialistas do Burundi, da República Democrática do Congo, do Ruanda e da Tanzânia.
Segundo o ministro da saúde do Burundi, Barnabé Mbonimpa, o encontro visa melhorar a capacidade dos operadores de saúde para prevenir epidemias e tratar os que já foram infectados. “apesar da vigilância organizada pelos nossos governos para fazer face a essas epidemias, estas continuam a revelar-se nos nossos estados, especialmente em regiões costeiras e com lagos, incluindo o lago Tanganiyka e o lago Kivu”, disse.
Espera-se que os especialistas desenvolvam estratégias para reduzir a incidência e a mortalidade causada pelas epidemias, disse Mbonimpa. E acrescentou que é necessária uma maior colaboração entre os países para facilitar a organização de iniciativas conjuntas para combater as epidemias na região dos Grandes Lagos.
Os participantes também levantaram o problema da gripe aviária, que atingiu o continente africano pela primeira vez. Já foram verificados casos de gripe aviária na Nigéria. a preocupação é grande pois os meios disponíveis são muito limitados, por exemplo o Burundi não dispõe de um laboratório para fazer testes às aves suspeitas de estar infectadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *