a Bernice King vão juntar-se na cidade italiana de Bolonha diferentes líderes religiosos e representantes europeus
a Bernice King vão juntar-se na cidade italiana de Bolonha diferentes líderes religiosos e representantes europeusMais de 300 líderes e intelectuais, entre os quais se encontram bispos católicos de todos os continentes, representantes da Igreja ortodoxa-russa, do Islão, do Judaísmo e religiões asiáticas, vão deslocar-se à cidade de Bolonha, em Itália, para participarem no encontro internacional Pontes de paz, que vai realizar-se de 14 a 16 de outubro.

O evento será também uma ocasião para reunir antonio Tajani, presidente do Parlamento Europeu, Romano Prodi, ex-presidente da Comissão europeia, Bernice King, filha de Martin Luther King, Grégoire ahongbonon, médico que trabalha pela dignidade e tratamento dos doentes mentais na África Ocidental, e Solalinde, sacerdote que defende os migrantes no México e tira os jovens da rede de narcotraficantes.

O encontro deverá congregar milhares de participantes de toda a Europa e será uma ocasião de abertura e diálogo, onde se incidirá sobre a Europa e sua crise, a solidariedade inter-geracional, o diálogo entre religiões, o ambiente, o desarmamento, a posição dos crentes perante as guerras, os atos de violência generalizados na américa Latina e o futuro continente africano.

Num tempo difícil, quando muitas redes de convivência nas periferias das grandes cidades caem um pouco de cada vez e se erguem muros não apenas entre a Europa e a África, para defender-se dos migrantes, mas também entre países europeus, precisamos de reconstruir juntos pontes de paz, realçou Marco Impagliazzo, presidente da Comunidade de Santo Egídio, que promove a iniciativa com a arquidiocese de Bolonha.

O responsável alerta para os desafios, que pedem uma união entre os povos e não o seu afastamento. Sente-se a necessidade absoluta de construir pontes. Estamos convencidos disso. Não oposições e muros. apenas a civilização do viver juntos pode resistir aos desafios da globalização e da paz, frisou Marco Impagliazzo, citado pelos serviços de comunicação do Vaticano.

O evento está a ser preparado por dois mil voluntários, e contará também com diversas animações em várias partes da cidade, que serão protagonizadas pelos membros do movimento Jovens pela paz, um organismo ligado à Comunidade de Santo Egídio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *