agência das Nações Unidas alerta que milhares de inocentes podem morrer, no sudoeste do país, caso não sejam tomadas medidas urgentes para os proteger e distribuir assistência humanitária
agência das Nações Unidas alerta que milhares de inocentes podem morrer, no sudoeste do país, caso não sejam tomadas medidas urgentes para os proteger e distribuir assistência humanitária O agravamento dos confrontos no sudoeste da Síria está a provocar uma nova onda de deslocados. Muitos podem morrer se não houver medidas urgentes de proteção e distribuição de ajuda, segundo o alto comissário das Nações Unidas para os Refugiados, Fillipo Grandi. Em comunicado emitido esta quinta-feira, 5 de julho, o responsável manifesta grande preocupação com a possibilidade dos civis serem apanhados pelo fogo cruzado dos ataques aéreos e bombardeamentos pesados, um perigo que já levou mais de 320 mil pessoas a fugir da região. Entre os deslocados, adianta Grandi, está um grande número de mulheres e crianças, idosos, feridos e doentes. a instabilidade na área obrigou várias equipas de trabalhadores humanitários a abandonarem o local, por questões de segurança. O alto comissário pede ainda às partes envolvidas que redobrem os esforços para o fim dos combates e permitam que funcionários humanitários prestem assistência essencial, abriguem e retirem os feridos. E recorda que é importante garantir a segurança e a proteção de civis e dos trabalhadores humanitários, como parte do princípio fundamental do direito internacional humanitário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *