O governo da Etiópia, as Nações Unidas e outras agências humanitárias lançaram um apelo de 150 milhões de euros em ajuda de emergência alimentar e não só para esta nação africana.
O governo da Etiópia, as Nações Unidas e outras agências humanitárias lançaram um apelo de 150 milhões de euros em ajuda de emergência alimentar e não só para esta nação africana. Mais de 100 milhões são para destinar a projectos de saúde, de nutrição, água, serviços sanitários e agricultura. “Este é o maior apelo lançada por razões não estrictamente alimentares, desde a emergência da seca na Etiópia em 2003”, disse Bjorn Ljungqvist, o coordenador mop terreno das Nações Unidas (ONU).
“Já temos uma crise de emergência nas regiões de pastorí­cia da Etiópia, com mais de 1,7 milhões de peddoas a enfrentar a insegurança alimentar e a precisar de assistência. São necessários 10 milhões de euros em ajuda não alimentar para dar resposta a esta emergência relacionada com a seca”, acrescentou.
as zonas mais críticas são afder, Liben e partes de Gode na região somali. a comissão governamenteal para a prevenção de desastres disse que “já provoca preocupação” a segurança alimentar destas zonas, com mais de 1,5 milhões de pessoas a precisar de assistência de emergência. “além disso, há umas 638 mil pessoas em extrema necessidade de água”, acrescentou a comissão.
No total, uns 2,5 milhões de pessoas na Etiópia precisam de assistência humanitária urgente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *