Centenas de combatentes do Movimento Democrático do Povo Tigrino depositaram as suas armas numa localidade fronteiriça, depois de terem participado em confrontos com o exército da Eritreia
Centenas de combatentes do Movimento Democrático do Povo Tigrino depositaram as suas armas numa localidade fronteiriça, depois de terem participado em confrontos com o exército da Eritreia O general Mola asgedom, opositor ao governo etíope e antigo aliado das autoridades eritreias, cruzou a fronteira com o Sudão com 700 combatentes e entregou as armas às autoridades de Cartum, depois de vários confrontos com o exército da Eritreia, informou segunda-feira, 14 de setembro, a imprensa local. Segundo várias fontes, citadas pela agência Misna, os combatentes pertencem ao Movimento Democrático do Povo Tigrino, que teve um papel decisivo no apoio ao Presidente da Eritreia, Isaias afewerki, após um levantamento militar em janeiro de 2013. a Etiópia e a Eritreia, que se enfrentaram num conflito armado entre 1998 e 2000, acusam-se mutuamente de apoiar movimentos rebeldes para desestabilizar os dois países.