Instalou-se em Cracóvia o tribunal rogatório para a causa de beatificação de João Paulo II, encarregado de recolher testemunhos sobre a vida e a actividade de Karol Wojtyla quando era bispo e cardeal.
Instalou-se em Cracóvia o tribunal rogatório para a causa de beatificação de João Paulo II, encarregado de recolher testemunhos sobre a vida e a actividade de Karol Wojtyla quando era bispo e cardeal.

O acto aconteceu, simbolicamente, no dia quatro de Novembro,festa litúrgica de São Carlos Borromeu, onomástico de Karol Wojtyla, de quem este era muito devoto.
Sete meses depois do falecimento do Papa polaco, a cerimónia teve lugar na Catedral de Wawel e foi presidida pelo arcebispo de Cracóvia, D. Stanislaw Dziwisz, que se destacou como secretário pessoal de João Paulo II ao longo de várias décadas.
O Pe. Slawomir Oder, postulador do processo de beatificação e canonização de João Paulo II, entregou, nesta ocasião, a nomeação do vice-postulador, o Pe. Stefan Rylko. Tomaram posse dos seus cargos os membros da comissão histórica, os padres Jacek Urban e Grzegorz Rys.
O trabalho do processo rogatório será orientando pelo Bispo Tadeusz Pieronek, antigo reitor da academia Pontifícia de Teologia de Cracóvia, como juiz delegado por D. Dziwisz.
O processo segue, neste momento, uma fase diocesana, que começou no passado dia 28 de Junho, em Roma, na qual se procede à recolha de todos os documentos relativos à vida e obra de João Paulo II, incluindo os escritos inéditos, anteriores à sua eleição como Papa.
Posteriormente inicia-se outra fase, na Santa Sé. Na Congregação para as Causas dos Santos, teólogos, médicos e historiadores irão analisar esses dados. as suas conclusões serão depois submetidas ao exame da Ordinária da Congregação, composta por 30 membros, entre Cardeais, arcebispos e Bispos: é a eles que compete aprová-las ou não.
O
site oficial da causa de beatificação e canonização está cheio de orações a pedir graças por intercessão de João Paulo II, bem como de testemunhos das suas virtudes e de milagres que lhe são atribuídos.

Ecclesia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *