Depois de uma missão de cinco dias por terras birmanesas, o alto comissário adjunto para a Proteção da agência de refugiados pediu mais apoio concertado para resolver a situação das pessoas deslocadas e aqueles que têm cidadania indeterminada no país

Depois de uma missão de cinco dias por terras birmanesas, o alto comissário adjunto para a Proteção da agência de refugiados pediu mais apoio concertado para resolver a situação das pessoas deslocadas e aqueles que têm cidadania indeterminada no país
Depois de visitar Rangum, bem como a capital de Nay Pyi Taw e Sittwe e Maungdaw, no estado de Rakhine, na Birmânia (Mianmar), Volker Türk disse que o futuro do país depende do futuro de todas as suas partes em conjunto. Para Türk, segundo um comunicado de imprensa, todos devem ter a oportunidade de beneficiar da transformação em curso. O Estado de Rakhine é uma das áreas menos desenvolvidas do país. E é o lar de pessoas deslocadas internamente (PDI), com uma estimativa de um milhão de outros de cidadania indeterminado. Vivendo em municípios do norte do estado, as populações, predominantemente Rohingya, são afetadas por restrições à liberdade de movimento e de acesso a meios de subsistência e serviços, como saúde e educação.