Cuba enviou um total de 575 médicos para socorrer os sobreviventes da violenta tempestade que devastou a Guatemala, afectando mais de três milhões de pessoas.
Cuba enviou um total de 575 médicos para socorrer os sobreviventes da violenta tempestade que devastou a Guatemala, afectando mais de três milhões de pessoas.

Segundo Juan Carlos Dupuy, chefe do contingente, a missão é essencial para ajudar a salvar vidas, especialmente dos idosos e das crianças que foram vítimas da violência da chuva, das cheias e dos deslizamentos de terra.

Os médicos pertencem ao contingente especializado em desastres e grandes epidemias, inicialmente formado por 1 500 médicos que Cuba ofereceu aos Estados Unidos para ajudar as vítimas do furacão Katrina. O governo norte-americano não aceitou esta ajuda, mas Fidel Castro, líder cubano, decidiu fundar uma brigada médica internacional.

Foi-lhe dado o nome de Brigada Médica Henry Reeve, em honra do médico norte-americano que lutou na guerra da independência de Cuba. É uma iniciativa única no mundo e os seus membros têm que possuir conhecimentos sobre epidemias, falar duas línguas e estar em boa condição física. a sua missão é dar apoio internacional em casos de emergências provocadas por desastres naturais e em casos de epidemias.

além dos 575 médicos que estão na Guatemala, Cuba ofereceu-se para enviar uns 200 médicos para o Paquistão onde um tremor de terra, de magnitude 7. 6 na escala de Richter,já deixou pelo menos 22 mil mortos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *