a antiga primeira-dama de Moçambique, Graça Machel, apelou ao Banco Mundial para que ajude o Quénia na sua luta contra a Sida, essa ajuda deve ser dada na forma de subsí­dios e não de empréstimos.
a antiga primeira-dama de Moçambique, Graça Machel, apelou ao Banco Mundial para que ajude o Quénia na sua luta contra a Sida, essa ajuda deve ser dada na forma de subsí­dios e não de empréstimos. Num recente encontro do Conselho Nacional de Controlo da Sida do Quénia (CNCS), que decorreu na capital Nairobi, Graça Machel disse que era injusto sobrecarregar o país com empréstimos quando o dinheiro se destina a prolongar a vida das pessoas com infectadas com o vírus da Sida.
Temos que fazê-los [o Banco] reflectir, estamos a falar de vidas humanas; temos que negociar com eles, continuar a pressioná-los, estas foram as instruções que ela deu aos membros do CNCS depois do banco Mundial alegadamente ter rejeitado a aplicação do Quénia para subsídios. O Quénia tem acesso tem acesso a ajudas, mas só na forma de empréstimos.
Graça Machel adverte que o pagamento destes empréstimos é uma sobrecarga para as gerações futuras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *