a responsável da ONU pelos direitos humanos pediu que as partes sul-sudanesas em conflito respeitem o cessar-fogo, para conter o sofrimento dos civis e garantir que é seguro o suficiente para os deslocados por meses de violência regressarem às suas casas
a responsável da ONU pelos direitos humanos pediu que as partes sul-sudanesas em conflito respeitem o cessar-fogo, para conter o sofrimento dos civis e garantir que é seguro o suficiente para os deslocados por meses de violência regressarem às suas casasEspero que o acordo de cessação das hostilidades seja respeitado pelas duas partes – esta é que é a preocupação imediata. as pessoas não se sentem seguras, afirmou esta segunda-feira a alta comissária para os Direitos Humanos, Navi Pillay.

Esta responsável para os Direitos Humanos chegou esta segunda-feira ao Sudão do Sul, juntamente com o assessor especial das Nações Unidas sobre a Prevenção de Genocídio, adama Dieng, para discutir o agravamento da situação dos direitos humanos na sequência dos recentes assassinatos em massa nas capitais dos estados de Unity e de Jonglei.

Visto de fora, achamos que a situação é muito grave e pode haver mortes por vingança. Sabemos que, numa disputa entre dois líderes, como se diz em África, quando dois elefantes lutam, é a erva que sofre, comparou Pillay.