O drama do tráfico humano está a aumentar no mundo. Cada ano milhões de mulheres e crianças tornam-se escravas sexuais, mendigos e trabalhadores mineiros.
O drama do tráfico humano está a aumentar no mundo. Cada ano milhões de mulheres e crianças tornam-se escravas sexuais, mendigos e trabalhadores mineiros. a alta-comissário para os direitos humanos das Nações Unidas (ONU) Louise arbour, numa conferência sobre direitos humanos no Ásia-pacífico, referiu-se ao tráfico de pessoas como uma prática horrenda.
Pela sua própria natureza constitui uma grave violação dos direitos humanos e os relatórios que recebemos sugerem que nunca houve um número de pessoas a ser traficadas tão elevado como actualmente, disse.
a Organização Internacional do Trabalho calcula que cada ano mais de dois milhões de pessoas são traficadas em todo o mundo. Nenhum país ou região está imune, disse o director executivo da agência para as crianças da ONU (Unicef) ann Veneman. as crianças são obrigadas a prostituir-se, a mendigar e a trabalhar em plantações, minas, mercados, fábricas e em serviços domésticos.
Na região do Ásia-pacífico, especialmente no sudeste asiático, o negócio do sexo é o principal factor do tráfico de pessoas. Crianças de aldeias pobres da Burma, Cambodja e Filipinas, entre outros, são atraídas para as cidades ou países vizinhos onde acabam em lugares de massagens, bares de karaoke, ou são enviadas para a austrália, o Japão, a África do Sul e os Estados Unidos onde ficam como escravas em bordeis.
Na China, o país mais populoso do mundo, o tráfico de pessoas é uma prática corrente dos grupos criminosos, que, segundo os especialistas, cresceram apoiando-se na corrupção governamental e na pobreza. a venda de mulheres e crianças é um problema da nação, em parte devido ao planeamento familiar que permite um único filho por casal.
arbour pediu aos países da região que ratifiquem os acordos internacionais dos direitos humanos para combater o tráfico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *