Os novos casos de cancro em todo o mundo devem aumentar 14 a 22 milhões por ano nas próximas duas décadas e as mortes 8,2 a 13 milhões. Nações Unidas apelaram a ação preventiva que inclua legislação restritiva de tabaco, álcool e bebidas açucaradas
Os novos casos de cancro em todo o mundo devem aumentar 14 a 22 milhões por ano nas próximas duas décadas e as mortes 8,2 a 13 milhões. Nações Unidas apelaram a ação preventiva que inclua legislação restritiva de tabaco, álcool e bebidas açucaradas Um maior compromisso com a prevenção e a deteção precoce é bastante necessário, para complementar os melhores tratamentos e enfrentar o aumento alarmante de casos de cancro, afirmou Christopher Wild, diretor da agência especializada das Nações Unidas para o cancro, na apresentação de um novo relatório na véspera do Dia Mundial do Cancro, que se assinala esta terça-feira, 4 de fevereiro. O relatório adverte que a batalha global contra o cancro não será vencida com um tratamento isolado e necessita urgentemente de medidas eficazes para a prevenção que ajude a conter a doença. Como exemplo de estratégias preventivas, o relatório destaca a necessidade de uma legislação adequada para reduzir a exposição a comportamentos de risco, citando o primeiro tratado internacional patrocinado pela Organização Mundial de Saúde (a Convenção-Quadro para o Controlo do Tabaco) fundamental para reduzir o consumo de tabaco – um dos principais contribuidores para o cancro do pulmão e outros tipos de tumores – através de impostos, restrições à publicidade e outras leis e medidas que controlem e desencorajarem o consumo de tabaco.