O início das negociações para um acordo de paz entre o governo colombiano e os guerrilheiros fez aumentar o í­ndice de ‘fugas’ de crianças-soldado. Para as recuperar do trauma, estão a ser criados centros de reabilitação
O início das negociações para um acordo de paz entre o governo colombiano e os guerrilheiros fez aumentar o í­ndice de ‘fugas’ de crianças-soldado. Para as recuperar do trauma, estão a ser criados centros de reabilitação Milhares de crianças-soldado têm conseguido fugir, nos últimos 15 anos, das fileiras das Forças armadas Revolucionárias Colombianas (FaRC) e do Exército de Libertação Nacional (ELN). Muitas abandonaram os combates no segundo semestre do ano passado, na sequência das negociações de paz entre os representantes dos guerrilheiros e o governo colombiano. algumas estão a ser acolhidos em centros de reabilitação, criados pelo executivo de Bogotá. Pelas histórias que contam, quando recrutados pela guerrilha, os meninos são instruídos para usar armas, enquanto as meninas são usadas como espiãs, para recolherem informações, pois acredita-se que ninguém suspeita delas. além disso, para as raparigas torna-se mais fácil transportar dinheiro, armas e droga. as estruturas governamentais de apoio às crianças-soldado permanecem secretas, para proteger os menores de eventuais represálias. E estão preparadas para ajudar os ex-combatentes’ a aliviar o trauma das suas experiências, até darem sinais de recuperação e encontrarem lugares seguros e adequados para viver. O governo suspeita que os rebeldes continuam a recrutar crianças e para prevenir o alistamento está a promover campanhas e iniciativas de caridade para jovens, em todo o país, informa a agência Fides.