Depois de João Paulo II, Bento XVI visita a sinagoga hebraica de Colónia, destruída em 1938 pelos nazis durante a “noite dos cristais”.
Depois de João Paulo II, Bento XVI visita a sinagoga hebraica de Colónia, destruída em 1938 pelos nazis durante a “noite dos cristais”. O Papa visita uma das mais antigas sinagogas alemãs, completamente destruída pelos nazis em 1938, durante a noite dos cristais (*) e reconstruída em 1959.
a visitaé a convite da comunidade hebraica de Colónia, logo após a sua eleição à cadeira de São Pedro. É a segunda vez que um Papa visita um templo hebraico, desde que João Paulo II esteve na sinagoga de Roma em abril de 1986.
Esperamos que a visita de hoje seja um sinal para o futuro – afirmou Michael Rado, membro da direcção da sinagoga de Colónia – pois, apesar dos esforços da Igreja nos últimos anos, está presente na cabeça de muita gente o anti-semitismo de matriz religiosa. E acrescenta: Se o Papa dá o passo de visitar a sinagoga, torna claro, de uma vez por todas, que na Igreja não pode haver lugar para este anti-semitismo.

(*) Na noite de 9 de Novembro de 1938, iniciaram-se os ataques nazis às sinagogas, casas e lojas judaicas, que foram depredadas e incendiadas. Inúmeros judeus foram abatidos à paulada, enquanto dezenas de milhares foram presos e internados nos campos de concentração, de onde praticamente ninguém voltou. O terror prosseguiu nos dias 10 e 11 de Novembro. Por causa das vitrinas quebradas essa acção foi denominada Kristalnacht – a Noite dos Cristais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *