a biblioteca da missão de Santa Isabel do Guiúa promoveu um concurso de composição sobre a situação do ensino em Moçambique e as reflexões apresentadas deram que pensar. Segue-se um debate sobre as razões apontadas para o insucesso

a biblioteca da missão de Santa Isabel do Guiúa promoveu um concurso de composição sobre a situação do ensino em Moçambique e as reflexões apresentadas deram que pensar. Segue-se um debate sobre as razões apontadas para o insucesso
a partir do tema do insucesso escolar no ensino secundário, os leitores da biblioteca do Guiúa, Moçambique, foram desafiados a refletir sobre as dificuldades dos alunos da escola secundária; o porquê de alguns estudantes reprovarem na escola enquanto outros conseguem passar de classe e o que será possível mudar no sistema educativo para permitir melhores resultados aos educandos. a escolha do tema decorre da constatação da fraca preparação dos alunos para a secundária, desde logo com os graves problemas de leitura e escrita. as passagens de ano automáticas da 1a à 7a classe, enviam para o ensino secundário milhares de alunos que não sabem ler. Dos que sabem, muitos não conseguem transitar de ano na 10a classe. Na realidade, na biblioteca do Guiúa, são poucos os alunos com a 11a e a 12a classe. O cenário é preocupante e foi sobre esta realidade que se pretendeu refletir, fazendo-o com a ajuda do olhar dos leitores. as composições entregues apresentaram análises preocupantes dos estudantes. a fraca preparação dos que abandonam a primária, a ausência de manuais escolares e as dificuldades de transportes são fatores que por si só dificultam o normal acesso à vida escolar. associam-se a elas uma deficiente consciência do que é ser estudante, com comportamentos desestabilizadores: a indisciplina, o alcoolismo e o absentismo. Fatores que concorrem para uma preocupante ausência de hábitos de estudo. a pergunta sobre o que mudariam no sistema de ensino não obteve propostas por parte dos alunos, que a compreenderam como uma pergunta pessoal, sobre o que mudariam no seu comportamento. Foi proposto ao grupo de jovens a realização de um debate sobre este tema e em especial sobre as atitudes negativas que foram identificadas e que cada um pode mudar. Mas a ideia é ir mais além, é desafiá-los para uma reflexão séria sobre o seu país e a organização do sistema de educação. Convidá-los a pensarem a sua realidade como protagonistas, como futuros homens e mulheres com ideias sobre a organização da sua sociedade e não como meros espectadores. Criar em cada um a consciência de si próprio e do seu valor, enquanto construtores do seu próprio destino. Os vencedores do concurso souberam expressar bem as suas ideias, refletindo sobre si próprios e a realidade imediata que os cerca. Houve dois primeiros lugares, com os mesmos pontos, um segundo lugar e dois terceiros lugares. Foi o primeiro passo. O próximo concurso será sobre o que mudariam no sistema de ensino. O tema é: O que é que eu faria, se mandasse na educação do meu país?