a agência de refugiados das Nações Unidas manifestou a sua preocupação pela nova emergência na região do Kivu do Norte, no leste da República Democrática do Congo, onde novos combates têm desenraizado dezenas de milhares de pessoas nos últimos dias
a agência de refugiados das Nações Unidas manifestou a sua preocupação pela nova emergência na região do Kivu do Norte, no leste da República Democrática do Congo, onde novos combates têm desenraizado dezenas de milhares de pessoas nos últimos dias Os combates iniciaram-se perto da capital provincial de Goma, entre forças governamentais da República Democrática do Congo (FaRDC) e um grupo armado rebelde conhecido como movimento M23 (de 23 de março), depois de uma pausa de dois meses. Os novos confrontos levaram ao deslocamento da população civil, incluindo um deslocamento preventivo, de acordo com o gabinete do alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (aCNUR). Com a deterioração da situação em Masisi – a noroeste de Goma – um fluxo constante de cerca de 600 pessoas por semana, atravessou [a fronteira] para o distrito de Kisoro, no Uganda, explicou o porta-voz do aCNUR, adrian Edwards. Mais escaramuças são prováveis e tememos que eles poderiam desencadear um êxodo maior. a agência enviou plástico para a construção de abrigos, pratos e copos e kits de sanitas temporárias, bem como sabão para os recém-chegados. Foi ainda fornecido combustível.