as forças de paz das Nações Unidas no país estão em alerta máximo e prontos a usar a força para proteger civis em Goma do avanço dos rebeldes do Movimento 23 de março
as forças de paz das Nações Unidas no país estão em alerta máximo e prontos a usar a força para proteger civis em Goma do avanço dos rebeldes do Movimento 23 de março a Missão de Estabilização da Organização das Nações Unidas no Congo (MONUSCO) expressou a sua profunda preocupação sobre o mais recente surto de combates. Estes eclodiram depois de um grupo significativo do Movimento 23 de março (M23) ter atacado as forças nacionais congolesas (FaRDC) a 14 de julho, em Mutaho, oito quilómetros a noroeste de Goma, no leste da República Democrática do Congo (RDC). Segundo a MONUSCO, foram usadas artilharia pesada e um tanque de guerra no ataque. Qualquer tentativa por parte do M23 para avançar em direção a Goma será considerada uma ameaça direta aos civis, avisou a Missão. Que também notou que os capacetes azuis da ONU estão preparados para tomar as medidas necessárias, incluindo o uso de força letal, para protegerem os civis. O representante especial interino do secretário-geral das Nações Unidas no país, Moustapha Soumaré, pediu contenção para se evitar uma nova escalada da situação, numa região da RDC que é fustigada pela miséria e guerra há anos.