O Comité Organizador Local da próxima Jornada Mundial da Juventude assume o desafio de não enviar resí­duos para aterros sanitários. O objetivo passa por reutilizar ou encaminhar os desperdí­cios para a reciclagem e compostagem
O Comité Organizador Local da próxima Jornada Mundial da Juventude assume o desafio de não enviar resí­duos para aterros sanitários. O objetivo passa por reutilizar ou encaminhar os desperdí­cios para a reciclagem e compostagem OComitéOrganizador Local (COL)da próxima Jornada Mundial da Juventude (JMJ) não vai enviar resíduos para aterros sanitários durante as atividades no CampusFidei’. Localizado em Guaratiba, nos arredores do Rio de Janeiro, este espaço deverá receber cerca de dois milhões de peregrinos, nos dias 27 e 28 julho, para a vigília e celebração eucarística de encerramento da JMJ, celebrada pelo Papa Francisco. O programa doCOL,para este local, prevê que os resíduos sejam prioritariamente reutilizados ou encaminhados para a reciclagem e para compostagem. Os lixos que não se enquadrem nos parâmetros da reciclagem serão encaminhados para uma central elétrica pelo processo de incineração, informa a agênciaEcclesia. a Jornada Mundial da Juventude vai decorrer de 23 a 28 de julho, na cidade brasileira do Rio de Janeiro, no Brasil, com o lema Ide e fazei discípulos de todos os povos’.