Movimento rebelde aquartelado na República Democrática do Congo está a recrutar, treinar e a reorganizar-se para lançar novos ataques ao Uganda. O exército ugandês já está em alerta
Movimento rebelde aquartelado na República Democrática do Congo está a recrutar, treinar e a reorganizar-se para lançar novos ataques ao Uganda. O exército ugandês já está em alerta Os confrontos entre os rebeldes das Forças Democráticas aliadas (FDa) e as Forças Populares de Defesa do Uganda (FPDU) podem ressurgir a qualquer momento, tendo em conta as informações recolhidas pelas autoridades ugandesas, que dão conta de recrutamentos e ações de preparação militar, por parte da rebelião, no leste da República Democrática do Congo (RDC). a ameaça é real. as FD a estão a recrutar, a treinar e a abrir novos campos no leste da RDC. Nós estamos em alerta e muito bem preparados para lidar com quaisquer ataques ao nosso lado da fronteira, disse o Tenente-coronel Paddy ankunda, porta-voz das Forças Populares de Defesa do Uganda. O movimento rebelde foi formado em meados dos anos 1990, na zona montanhosa de Rwenzori, no oeste do Uganda, perto da fronteira com o Congo. Já matou centenas de pessoas em vários ataques na capital, Kampala, e em outras partes do país, e obrigou dezenas de milhares de habitantes a fugir. Suspeita-se que esteja ligado a grupos islamitas. Segundo Paddy ankunda, as aDF – que agora se acredita terem cerca de 1. 200 militantes – têm estado a tentar aumentar o seu efetivo através de raptos e recrutamento na província do Kivu Norte e também no Uganda. Neste momento, o exército ugandês não tem mandato para perseguir os rebeldes em território congolês e espera que a Brigada de Intervenção da ONU possa travar a ação dos rebeldes e estabilizar os dois países.