Em 2012, a assistência Médica Internacional apoiou 1683 cidadãos em situação de sem-abrigo. a maioria vive em estações, prédios ou carros abandonados
Em 2012, a assistência Médica Internacional apoiou 1683 cidadãos em situação de sem-abrigo. a maioria vive em estações, prédios ou carros abandonadosO número de pessoas em situação de sem-abrigo apoiadas pelos membros dos serviços sociais da assistência Médica Internacional (aMI) passou de 1445, em 2008, para 1683, no último ano. Um aumento superior a 14 por cento, alerta a organização não governamental, num comunicado divulgado esta terça-feira, 25 de junho.

Segundo o documento, o perfil da população sem-abrigo tem-se mantido constante. a maioria é constituída por portugueses (80 por cento), com idades compreendidas entre os 30 e os 60 anos (72 por cento). as habilitações literárias são baixas, geralmente possuem o primeiro ou segundo ciclo de escolaridade (58 por cento), ou, em outros casos, não têm formação profissional (69 por cento).

No que diz respeito aos locais onde pernoitam, a rua (escadas, prédios, carros abandonados, estações ou contentores) abrange a maior parte das pessoas em situação de sem-abrigo (23 por cento), seguindo-se quartos ou pensões (22 por cento), finalmente abrigos temporários ou de emergência (13 por cento) e outras situações (33 por cento).