O Comité Internacional da Cruz Vermelha reconheceu formalmente a Sociedade da Cruz Vermelha do Sudão do Sul. Philip Spoerri, do movimento humanitário, acredita que a nova sociedade nacional irá contribuir para «aliviar o sofrimento humano»
O Comité Internacional da Cruz Vermelha reconheceu formalmente a Sociedade da Cruz Vermelha do Sudão do Sul. Philip Spoerri, do movimento humanitário, acredita que a nova sociedade nacional irá contribuir para «aliviar o sofrimento humano» a Sociedade da Cruz Vermelha do Sudão do Sul foi formalmente reconhecida pelo Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV). Desta forma, o Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho passa a ter 189 sociedades nacionais. Este acontecimento dá-se dois anos depois do Sudão do Sul se ter tornado num Estado independente. O reconhecimento do Sudão do Sul é um marco para o movimento, afirmou Philip Spoerri, diretor para o direito internacional e cooperação do CICV.
Temos o prazer de receber esta nova sociedade nacional e estamos confiantes de que irá desempenhara missão do movimento, que é prevenir e aliviar o sofrimento humano sob qualquer forma, sublinhou, em declarações aos serviços de comunicação da organização. Enquanto sociedade nacional, a Cruz Vermelha do Sudão do Sul desenvolve várias atividades humanitárias, como a gestão de desastres e cuidados de saúde, e prestação de informações sobre os direitos fundamentais e Direito Internacional Humanitário.