a chegada do verão e a deterioração das condições de higiene são as novas ameaças que enfrentam perto de quatro milhões de crianças na Síria, alertam as Nações Unidas
a chegada do verão e a deterioração das condições de higiene são as novas ameaças que enfrentam perto de quatro milhões de crianças na Síria, alertam as Nações Unidas O Fundo das Nações Unidas para a Educação e Infância (UNICEF) está preocupada com a situação de cerca de quatro milhões de crianças sírias, devido ao aumento das temperaturas, a falta de saneamento e o agravamento das condições de higiene. Sem água potável suficiente e condições de salubridade, aumenta a probabilidade das crianças que vivem na Síria e as que estão como refugiadas na região, adoecerem com diarreia ou outras enfermidades, disse a diretora regional da organização para o Médio Oriente e Norte de África, Maria Calivis. Segundo a UNICEF, as condições nos campos de refugiados de Domiz, no Iraque, e Zaatari, na Jordânia, são neste momento muito complicadas. E apesar das tentativas para restabelecer as redes de abastecimento de água, de reforçar o saneamento e as condições de higiene, continuam a faltar fundos para as obras. De acordo com Maria Calivis, até final do ano são necessários mais de 151 milhões de euros para continuar os programas de água, saneamento e higiene na Síria, Líbano, Jordânia e Iraque. Estamos a chegar a meio do ano e ainda faltam 93 milhões de euros para poder chegar ao objetivo previsto, adiantou a responsável do Fundo da ONU.