Viatura foi metralhada por guerrilheiros, alegadamente pertencentes à Renamo, o principal partido de oposição. O governo estará a preparar uma ofensiva à região da Gorongosa, antiga base militar do movimento
Viatura foi metralhada por guerrilheiros, alegadamente pertencentes à Renamo, o principal partido de oposição. O governo estará a preparar uma ofensiva à região da Gorongosa, antiga base militar do movimento Um autocarro de passageiros e um camião de carga foram atacados por alegados ex-guerrilheiros da Renamo, na manhã desta sexta-feira, 21 de junho, na região de Machanga, Sofala, no centro de Moçambique. Uma pessoa ficou ferida. O veículo de passageiros foi metralhado, mas conseguiu prosseguir a marcha. Já o pesado de mercadorias foi imobilizado e um dos passageiros ficou ferido. a emboscada ocorreu no rio Ripembe (Machanga). O autocarro não parou, como o motorista não foi atingido continuou em marcha, mas o camião de carga ficou imobilizado e uma senhora ficou ferida, enquanto o motorista e outros fugiram, contou à agência Lusa o administrador do distrito de Chibabava, arnaldo Machowe. a Renamo (Resistência Nacional de Moçambique) anunciou esta semana que ia impedir a circulação rodoviária na estrada N1, no troço Muxúngué-Save, e na Linha Férrea de Sena, como resposta a uma suposta ofensiva prestes a ser lançada pelo exército governamental na Serra de Gorongosa, antiga base militar do movimento. a Serra da Gorongosa foi o local onde o presidente do partido, afonso Dhlakama, se aquartelou em protesto contra o que diz ser uma ditadura implantada pelo governo, que acusa de estar a concentrar militares e meios bélicos na província de Sofala para atacar a Gorongosa.