Os membros da assembleia Geral das Nações Unidas estão reunidos para analisar os impactos do aumento da acidez nos mares, causada pelas emissões de carbono para a atmosfera
Os membros da assembleia Geral das Nações Unidas estão reunidos para analisar os impactos do aumento da acidez nos mares, causada pelas emissões de carbono para a atmosferaOs representantes dos países membros que compõem a assembleia Geral das Nações Unidas estão reunidos para discutir os impactos do aumento da acidificação dos oceanos, numa altura em ainda não existe nenhum acordo internacional especificamente dedicado a esta problemática. Durante o encontro, que iniciou na última segunda-feira, 17 de junho, e que se irá prolongar até à próxima quinta-feira, 20, serão analisados os desafios do aumento da acidez nos mares, causada pelas emissões de carbono para a atmosfera.
ao longo destes dias, os participantes vão ter a oportunidades para assistir a conferências sobre o processo de acidificação, os seus impactos e o que pode ser feito para reverter o problema. as palestras serão conduzidas por cientistas e investigadores, informa a Rádio ONU. Segundo um relatório de Ban Ki-moon, secretário-geral das Nações Unidas, os oceanos estão a absorver 30 por cento a mais de dióxido de carbono, em comparação com os níveis do início da Revolução Industrial, há 250 anos.
ao absorver os gases que estão na atmosfera, a acidez dos mares aumenta, comprometendo a sobrevivência das espécies marinhas. De acordo com a Organização das Nações Unidas, a acidez dos oceanos pode crescer 150 por cento até 2050. O nível é 100 vezes mais rápido do que qualquer mudança ocorrida no ambiente marinho em 20 milhões de anos.