Milhares de pessoas fugiram dos confrontos na província de Pibor (Sudão do Sul) e estão sem alimentos e cuidados de saúde. Os Médicos Sem Fronteiras têm pedido às autoridades para ajudar esta população, mas as solicitações têm sido negadas
Milhares de pessoas fugiram dos confrontos na província de Pibor (Sudão do Sul) e estão sem alimentos e cuidados de saúde. Os Médicos Sem Fronteiras têm pedido às autoridades para ajudar esta população, mas as solicitações têm sido negadasOs intensos confrontos entre o exército do Sudão do Sul (SPLa) e a milícia armada do grupo David YauYau, na província de Pibor, provocaram a fuga de cerca de 120 mil pessoas, que, atualmente, estão escondidas em pântanos, onde correm o risco de contrair malária, pois estão sem acesso a água potável, alimentos ou cuidados de saúde, alertam os membros da organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF).

Estes profissionais consideram que o governo do Sudão do Sul deve permitir a chegada imediata de assistência humanitária a essas áreas, de forma a prevenir a morte de deslocados internos. No entanto, os pedidos frequentes dos MSF às autoridades para levar assistência aos que estão escondidos na mata têm sido negados.

Segundo um comunicado da ONG, recentemente, os MSF foram claramente informados pelos comandantes do SPLa, que a organização não estaria autorizada a oferecer cuidados médicos em território controlado pela oposição ou a percorrer a mata para avaliar as necessidades dos deslocados até que o governo tenha controlo sobre a área.

Equipas dos MSF estão prontas para retomar e intensificar as atividades médicas para todas as pessoas em necessidade, independentemente da comunidade à qual pertencem, mas as autoridades do Sudão do Sul devem permitir o livre acesso para a provisão de assistência humanitária à população deslocada, referiu Bart Janssens, médico e diretor de operações dos MSF, em declarações aos serviços de comunicação da organização, acrescentado que as pessoas deslocadas estão numa zona que, em breve, estará debaixo de um metro ou mais de água.