Organização que luta pela melhoria da segurança alimentar mundial pede aos países mais industrializados que assumam compromissos concretos para minimizar a desnutrição infantil
Organização que luta pela melhoria da segurança alimentar mundial pede aos países mais industrializados que assumam compromissos concretos para minimizar a desnutrição infantil a organização não governamental (ONG) ação contra a Fome lançou um apelo aos líderes do G-8, que estão reunidos em Belfast, na Irlanda do Norte, para que adotem medidas concretas de combate à fome e à desnutrição infantil. aproveitando a cimeira dos oito países mais industrializados e desenvolvidos, a ONG iniciou uma campanha na internet, para sensibilizar os líderes das principais economias do mundo para os sonhos da juventude. Em comunicado, a ação contra a Fome desafiou os membros do G-8 a porem em marcha um plano de ação realista e urgente para reforçar a segurança alimentar a nível mundial. No documento, o diretor geral da organização, Olivier Longué, recordou que a desnutrição tem um enorme custo económico, não só humanitário, pois consome cinco por cento do Produto Interno Bruto mundial, segundo dados das Nações Unidas. Neste sentido, Longué pediu aos líderes políticos que promovam novos objetivos e mecanismos para reduzir a desnutrição, em linha com as metas marcadas para 2025 pela Organização Mundial de Saúde. Estas metas contemplam a redução de 40 por cento das crianças menos de cinco anos com atraso no crescimento, de 50 por cento dos problemas de anemia nas mulheres em idade reprodutiva e 30 por cento nos recém-nascidos com baixo peso.