Os tribunais de crimes de guerra criados na década de 1990 estão perto de completar o seu trabalho, apesar de vários atrasos. Mas é necessário ainda apoio da comunidade internacional para enfrentar os desafios restantes
Os tribunais de crimes de guerra criados na década de 1990 estão perto de completar o seu trabalho, apesar de vários atrasos. Mas é necessário ainda apoio da comunidade internacional para enfrentar os desafios restantes Criados na sequência do genocídio de 1994, no Ruanda, e dos conflitos dos Balcãs dos anos 1990, estes tribunais de crimes de guerra estão próximos de concluir os seus trabalhos. O presidente do Tribunal Penal Internacional para a ex-Jugoslávia (TPIJ), Theodor Meron, afirmou numa reunião aberta do Conselho de Segurança da ONU que apesar do Tribunal ter feito enormes progressos em muitos aspetos, tem havido alguns atrasos em determinados processos. O TPIJ, que assinalou o 20 º aniversário dos seus trabalhos há algumas semanas, está encarregue pelo Conselho de Segurança de apontar os responsáveis pelos piores crimes de guerra e violações do direito humanitário internacional cometidos durante os vários conflitos na antiga Jugoslávia na década de 1990. Desde a sua criação, o tribunal indiciou 161 pessoas. apenas quatro processos relativos a crimes centrais continuam por concluir. Três serão concluídos de acordo com o calendário estabelecido e apenas um, que foi originalmente apontado para ficar concluído no final de dezembro de 2014, deverá ficar fechado até julho de 2015.