a tensão entre as comunidades indígenas e os fazendeiros de Mato Grosso do Sul fez mais uma vítima. Um í­ndio foi assassinado a tiro, supostamente a mando dos produtores de gado que ocupam as terras reclamadas pela tribo Guarani
a tensão entre as comunidades indígenas e os fazendeiros de Mato Grosso do Sul fez mais uma vítima. Um í­ndio foi assassinado a tiro, supostamente a mando dos produtores de gado que ocupam as terras reclamadas pela tribo Guarani a Survival Internacional, organização internacional de defesa dos povos indígenas, suspeita que um grupo de pistoleiros que trabalha para produtores de gado em Mato Grosso do Sul, no Brasil, terá estado na origem da morte de um índio guarani, na quarta-feira, 12 de junho. Os homens armados foram vistos a rondar a comunidade e mais tarde a vítima apareceu morta a tiro, junto a um ribeiro. O ataque demostra a tensão e violência extrema que os índios estão a enfrentar devido ao fracasso do governo na demarcação de suas suas terras ancestrais. aqui nascemos, e a família foi expulsa. Decidimos voltar; nossa comida é a nossa terra. Eu já tive que correr várias vezes da bala. Dói muito que os fazendeiros seguem nos ameaçando. Mas a minha decisão é ficar aqui. O fazendeiro terá que matar todos nós para que a gente saia, disse um homem guarani à Survival. a transformação das terras indígenas em fazendas de gado, plantações de soja e de cana de açúcar, atirou muitos índios para reservas superlotadas ou acampamentos nas bermas de estradas, onde sofrem de desnutrição, alcoolismo e violência. Os Guarani de Paraguassú decidiram reocupar parte da sua terra ancestral, conhecida como arroio Korá. O Brasil tem sido elogiado como uma história de sucesso económico; tem sido celebrado pelo crescimento rápido; e tem a honra de receber os Jogos Olímpicos e o Campeonato do Mundo de Futebol. Mas quantas pessoas conhecem a verdade obscura? Em busca do lucro a todo custo, centenas de vidas inocentes foram perdidas, e milhares de meios de vida destruídos. Este ataque é parte de uma série de assassinatos recentes. O que o governo está a fazer para levar os assassinos para a justiça e evitar mais derramamento de sangue? Quase nada, lamenta Stephen Corry, diretor da Survival.