Participar na Peregrinação das Crianças é uma oportunidade para que os mais pequenos entendam que «o mundo da catequese é muito grande» e que Fátima «tem um dia próprio» para eles, considera Rui Neiva, pároco de uma unidade pastoral de Braga
Participar na Peregrinação das Crianças é uma oportunidade para que os mais pequenos entendam que «o mundo da catequese é muito grande» e que Fátima «tem um dia próprio» para eles, considera Rui Neiva, pároco de uma unidade pastoral de BragaCrianças de vários pontos do país estão esta segunda-feira, 10 de junho, em Fátima, a participar nas atividades inseridas na Peregrinação das Crianças. À Cova da Iria, os pequenos peregrinos chegaram em autocarros ou em carros particulares, acompanhados pelos catequistas e, em alguns casos, também pelos pais.

Rui Neiva, 39 anos, pároco de uma unidade pastoral de Braga, está a acompanhar, com o apoio de 25 adultos, um grupo de 103 crianças, dos seis aos 12 anos. Para o sacerdote, esta peregrinação é uma oportunidade para que as crianças percebam que o mundo da catequese é muito grande, e é também uma ocasião para que os mais pequenos entendam que a Cova da Iria não é só para visitar com os pais. É importante que vejam que Fátima tem um dia próprio e uma mensagem adequada para eles, disse, em declarações à Fátima Missionária.

Sameiro GonçAlves, 40 anos, é catequista em Santo Tirso, e está na Cova da Iria a acompanhar um grupo de 120 crianças. Para esta responsável, é importante que as crianças visitem Fátima para que conheçam o local onde Maria apareceu aos pastorinhos.

Para muitos menores, a Peregrinação das Crianças é o motivo para visitarem Fátima pela primeira vez. É o caso de Soraia Machado, de nove anos, que partiu hoje de Braga, às 04h30. Está a ser muito fixe estar aqui, e não me custou nada acordar cedo, disse de forma entusiasta. Também Carine Pedras, 12 anos, de Barcelos, está a visitar a Cova da Iria pela primeira vez e admitiu que tudo é uma novidade.

além da participação na celebração eucarística que assinala esta peregrinação anual, muitas crianças aproveitam a vinda a Fátima para visitar a loca do cabeço, oferecer flores a Nossa Senhora, e também para assistir a momentos culturais, na Basílica da Santíssima Trindade.