«O que começou por ser uma manifestação pacífica para salvar um parque em Istambul transformou-se numa Terrí­vel onda de repressão policial contra manifestantes em toda a Turquia». Esta descrição factual é mote para petição online
«O que começou por ser uma manifestação pacífica para salvar um parque em Istambul transformou-se numa Terrí­vel onda de repressão policial contra manifestantes em toda a Turquia». Esta descrição factual é mote para petição online Na petição promovida pela amnistia Internacional (aI) pede-se que termine o uso da força excessiva pelas forças policiais. afinal, de acordo com esta organização de direitos humanos, mais de 100 mil pessoas regressaram aos protestos contra as medidas escandalosamente excessivas utilizadas pela polícia para dispersar os manifestantes pacíficos. Diz a aI que muitas imagens de vídeos amadores mostram agentes a pontapear manifestantes aparentemente indefesos e a bater neles com os cassetetes. a amnistia classifica esta situação como uma crise crescente de direitos humanos, apelando a que se exija à Turquia que acabe com o uso de força excessiva contra manifestantes pacíficos. Segundo a aI, milhares de manifestantes foram feridos, muitos gravemente, e há pelo menos uma morte confirmada. Segundo as denúncias da aI,o uso de gás lacrimogéneo em áreas fechadas tornou-se um risco para a saúde dos manifestantes e também dos transeuntes. a polícia utilizou estas bombas como armas, ao apontá-las deliberada e diretamente para os manifestantes não violentos (há uma imagem que tornou-se ícone dos protestos, com uma mulher vestida de vermelho a ser atingida). E a polícia usou ainda gás lacrimogéneo diretamente para casas, empresas e até a entrada de um hospital, denunciou a amnistia. Um vídeo mostra ainda crianças muito jovens a serem tratadas pelos efeitos do gás lacrimogéneo.