Grupo fortemente armado incendiou duas dezenas de casas, saqueou os bens e forçou os moradores a fugirem para a selva. Várias crianças foram sequestradas e os rebeldes pedem um resgate de 1. 500 euros por pessoa
Grupo fortemente armado incendiou duas dezenas de casas, saqueou os bens e forçou os moradores a fugirem para a selva. Várias crianças foram sequestradas e os rebeldes pedem um resgate de 1. 500 euros por pessoa Um ataque dos rebeldes da coligação Séléka provocou sete mortos e dezenas de feridos, na cidade central de Bouca, na República Centro-africana. Os soldados, fortemente armados, incendiaram duas dezenas de casas, roubaram grande parte dos bens e forçaram a população a procurar abrigo na selva. Os atacantes chegaram a semana passada, dizendo que nos queriam proteger. Em vez disso, causaram vítimas e destruição. Temos medo que possam regressar depois das ameaças que fizeram, relataram várias testemunhas, citadas terça-feira, 4 de junho, pela agência Misna. Num outro ataque que ocorreu na cidade ocidental de Baboua foram sequestradas 10 pessoas, a maioria crianças. a ofensiva, segundo uma rádio local, foi reivindicada pelos rebeldes da Frente Democrática do Povo Centroafricano (FDPC), liderados por abdoulaye Miskine, que exigem um resgate de 1. 500 euros por pessoa, para libertar os reféns. O movimento aderiu o ano passado à Séléka e participou no golpe de Estado que destituiu o Presidente François Bozizé, no passado mês de março. Em desacordo com outras fações da coligação, Miskine ameaçou retomar as armas contra as novas autoridades de Bangui. Em abril, as forças fiéis ao autoproclamado governo centroafricano enfrentaram os rebeldes da FDPC, ferindo abdoulaye Miskine. Dois meses depois da destituição do anterior executivo, o ex-chefe rebelde nomeado Presidente, Michel Djotodia, e o seu governo de transição, ainda não conseguiram restabelecer a segurança em Bangui nem nas regiões controladas pela Séléka. além de enfrentarem os combatentes da sua própria coligação, têm de combater também os rebeldes ugandeses do Exército da Resistência do Senhor (LRa) e vários outros grupos armados, provenientes do Sudão do Sul.