O governo norte-americano está disposto a dar uma recompensa até 17 milhões de euros a quem fornecer informações que levem à captura de dois extremistas africanos
O governo norte-americano está disposto a dar uma recompensa até 17 milhões de euros a quem fornecer informações que levem à captura de dois extremistas africanos O programa do Departamento de Estado do Estados Unidos da américa (EUa), chamado Recompensa pela justiça, tem uma dotação de 23 milhões de dólares (cerca de 17 milhões de euros) para distribuir por quem fornecer informações credíveis que levem à captura do jihadista argelino Mokhtar Belmokhtar e do chefe do grupo islâmico nigeriano, Boko Haram. O governo norte-americano oferece dinheiro em troca de informações desde 1984. No programa agora divulgado pelas agências internacionais, além dos dois extremistas, constam outros líderes da al-Qaeda no Magreb Islâmico (aqmi). a quantia mais elevada – cinco milhões de euros – está relacionada com o chefe do grupo Boko Haram, abubakar Shekau, que na semana passada convocou os islamitas de afeganistão, Paquistão e Iraque a aderirem à luta pela criação de um estado islâmico na Nigéria. Já as informações que levem as autoridades norte-americanas ao encontro de Belmokhtar valem perto de quatro milhões de euros. No final de 2012, o argelino separou-se da aqmi para formar a sua própria organização. Dado como morto no Chade, em abril, há dez dias ameaçou lançar novos ataques no Níger. Em janeiro deste ano, foi o responsável pela gigantesca tomada de reféns num complexo de gás na argélia.