Conselho de Segurança das Nações Unidas queria aprovar uma resolução para proteger os civis na cidade sitiada de Qusair, na Síria, mas o documento foi vetado pelo governo russo. a Cruz Vermelha está alarmada com a falta de medicamentos, alimentos e água na região
Conselho de Segurança das Nações Unidas queria aprovar uma resolução para proteger os civis na cidade sitiada de Qusair, na Síria, mas o documento foi vetado pelo governo russo. a Cruz Vermelha está alarmada com a falta de medicamentos, alimentos e água na região as autoridades russas bloquearam este fim de semana, no Conselho de Segurança da ONU, um projeto de resolução proposto pela Grã-Bretanha sobre a situação dramática que se vive na cidade síria de Qusair, depois dos intensos combates entre o exército regular e os rebeldes registados nos últimos dias. O documento pedia ao governo de Bashar al-assad que autorizasse o acesso imediato, total e sem barreiras, às organizações humanitárias, para que protegessem os civis. Segundo informações veiculadas pelas agências internacionais, os 15 membros do Conselho de Segurança exigiam também ao governo sírio que assumisse a sua responsabilidade na proteção da população, mas a resolução foi travada pela Rússia, que pediu uma discussão política mais abrangente sobre o assunto. Quando os rebeldes tomaram Qusair, o Conselho não se manifestou, e não há motivos para fazê-lo agora, numa altura em que o exército sírio se prepara para recuperar o controlo da localidade, justificou um diplomata da ONU. Entretanto, a Cruz Vermelha lançou um alerta para a situação dramática que se vive na região e fez um apelo para ser autorizada a deslocar as suas equipas para o local, por forma a prestar ajuda às vítimas do conflito. Milhares de civis estarão retidos na cidade, que fica próxima da fronteira com o Líbano, onde os combates acabaram com as reservas de medicamentos, comida e água.