Vai celebrar-se no domingo, dia 2 de Junho, solenidade do Corpo de Deus, uma solene adoração eucarística «em simultâneo mundial» com o Papa Francisco

Vai celebrar-se no domingo, dia 2 de Junho, solenidade do Corpo de Deus, uma solene adoração eucarística «em simultâneo mundial» com o Papa Francisco

Inserido no ano da Fé, esta adoração eucarística mundial será um evento que se pode considerar histórico, dado que é a primeira vez que se realiza na história da Igreja. Em todas as latitudes, o povo de Deus estará sintonizado com Roma, em comunhão com o Papa. Será uma hora de uma oração plena, de comunhão fraterna e sustento da fé de todos. O Papa Francisco indicou duas intenções para este momento de oração que foram recordadas pelo presidente do Pontifício Conselho para a Nova Evangelização, arcebispo Rino Fisichella. a primeira intenção: Pela Igreja espalhada em todo o mundo e hoje em sinal de unidade, recolhida na adoração da Santíssima Eucaristia. E a segunda: Por todos aqueles que nas diversas partes do mundo vivem no sofrimento devido às novas formas de escravidão e são vítimas de guerras, do tráfico de pessoas, do narcotráfico e do trabalho escravo; pelas crianças e mulheres que são submetidas a qualquer tipo de violência. Milhares de catedrais, paróquias, santuários, conventos e mosteiros, pela primeira vez na história estarão unidos à mesma hora ao Papa Francisco, nesse dia 2 de Junho, de acordo com os diversos fusos horários. Em Roma será das 17,00 às 18,00 (em Portugal das 16,00 às 17,00). Em Portugal, tal como já acontece na maior parte dos países, o Corpo de Deus vai celebrar-se este ano pela primeira vez a um domingo (2 de junho) e não num dia feriado, como era antes. a suspensão de dois feriados católicos (Corpo de Deus e Todos os Santos) foi acordada em 2012 após um entendimento excecional entre a Santa Sé e o Governo português, válido por cinco anos. Nas várias dioceses de Portugal e do mundo católico realiza-se neste dia a procissão com o Santíssimo Sacramento, que é recomendada pelo Código de Direito Canónico, no qual se refere que onde, a juízo do bispo diocesano, for possível, para testemunhar publicamente a veneração para com a santíssima Eucaristia, faça-se uma procissão pelas vias públicas, sobretudo na solenidade do Corpo e Sangue de Cristo (cân 944, §1). Passando pelo meio das cidades, esta é uma ocasião única para que os fiéis possam manifestar a própria fé na presença de Cristo na Eucaristia. À semelhança das procissões eucarísticas, a festa do Corpo de Deus termina geralmente com a bênção do Santíssimo Sacramento.