Primeira-dama francesa apela à adoção de uma «resolução para acabar com a impunidade» dos abusadores e violadores na República Democrática do Congo
Primeira-dama francesa apela à adoção de uma «resolução para acabar com a impunidade» dos abusadores e violadores na República Democrática do Congo a primeira-dama francesa, Valérie Trierweiler, pediu ao Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas que adote uma resolução contra a impunidade na República Democrática do Congo (RDC). Perante os muitos embaixadores de países ocidentais e africanos, reunidos esta semana em Genebra, na Suíça, Trierweiler assumiu-se como advogada’ das mulheres violadas na região do Kivu. a França vai apoiar esta resolução ativamente, para quebrar o silêncio deste drama, um drama de que nós não falamos, que durou mais de vinte anos e atingiu perto de 500 mil mulheres na parte oriental da RDC, afirmou a primeira-dama, em representação da Fundação France Libertés. Valérie Trierweiler visitou o Congo em outubro do ano passado, durante a participação do marido, o Presidente François Hollande, na cimeira da francofonia. Nesta deslocação, teve a oportunidade de dialogar com várias vítimas de abusos sexuais, em Kinshasa, e ouvir testemunhos dramáticos.